Topo da página

Pesquisa

Conteúdo do site

Coluna do centro

Zoneamento Geoambiental

 

O Zoneamento Geoambiental é um instrumento técnico voltado para o planejamento ambiental, proporcionando parâmetros e referências para uma reavaliação permanente do processo de planejamento, principalmente dos setores agrícola, mineral, dentre outros. Com base em estudos realizados através de levantamentos setoriais e/ou integrado dos recursos naturais e do meio ambiente, utilizando técnicas de sensoriamento remoto aéreo e orbital e geoprocessamento, adotam-se procedimentos metodológicos capazes de conduzir à delimitação de unidades geoambientais, em consonância com proposições geossistêmicas. Além de serem dimensionadas as unidades geo-ambientais, incluem-se os municípios que nelas se enquadram, discriminando seu potencial e limitações de uso dos recursos naturais; as condições ecodinâmicas e a vulnerabilidade, como também o uso compatível visando sua sustentabilidade. Nesse contexto, a Funceme desenvolveu trabalhos em escalas regional, estadual e municipal.

 

Zoneamento Regional

Redimensionamento da Região Semi-Árida do Nordeste do Brasil - Resumo - Os objetivos fundamentais do presente trabalho, são: (1) Apresentar critérios para a definição da semi-aridez regional e (2) com base nos critérios estabelecidos, indicar e delimitar o espaço do semi-árido brasileiro e os municípios nele incluídos. Visa-se, essencialmente, apresentar um redimen-sionamento da região semi-árida do nordeste brasileiro de modo a amparar, técnica e cientificamente, as instituições oficiais (BNB, SUDENE e outras), que lidam com os incentivos fiscais e governamentais oriundos do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE). O referido Fundo, institucionalizado legalmente em 27 de setembro de 1989, pela Lei Federal 7.827, elegeu o volume pluviométrico como fator responsável pela delimitação da área semi-árida. O critério básico e exclusivo para a referida delimitação, ficou restrito à isoieta média anual de 800mm que tem-se revelado insuficiente e de aplicação inadequada. O presente trabalho propõe, por conseqüência, ao invés de um único parâmetro (volume pluviométrico) para definir o semi-árido, critérios variados e de natureza geo-ecológica.

 

 

 

 

 Zoneamento Estadual

Redimensionamento da Região Semi-Árida do Nordeste do Brasil - Resumo - Os objetivos fundamentais do presente trabalho, são: (1) Apresentar critérios para a definição da semi-aridez regional e (2) com base nos critérios estabelecidos, indicar e delimitar o espaço do semi-árido brasileiro e os municípios nele incluídos. Visa-se, essencialmente, apresentar um redimen-sionamento da região semi-árida do nordeste brasileiro de modo a amparar, técnica e cientificamente, as instituições oficiais (BNB, SUDENE e outras), que lidam com os incentivos fiscais e governamentais oriundos do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE). O referido Fundo, institucionalizado legalmente em 27 de setembro de 1989, pela Lei Federal 7.827, elegeu o volume pluviométrico como fator responsável pela delimitação da área semi-árida. O critério básico e exclusivo para a referida delimitação, ficou restrito à isoieta média anual de 800mm que tem-se revelado insuficiente e de aplicação inadequada. O presente trabalho propõe, por conseqüência, ao invés de um único parâmetro (volume pluviométrico) para definir o semi-árido, critérios variados e de natureza geo-ecológica.

 

 

 

 

 Zoneamento Municipal

Zoneamento agro-ecológico do município de Itapipoca - Resumo - Através de informações de solos obtidas do mapa exploratório-reconhecimento de solos do Estado do Ceará e informações de geologia/geomorfologia e vegetação, obtidas através de interpretação visual de imagens TM LANDSAT-5, com o auxílio do Mapa Geológico do Estado do Ceará, executou-se o Zoneamento Agroecológico do município de Itapipoca-CE. O área está situada entre os paralelos 3o05' e 3o22' S e 39o45' e 39o48' de longitude, à oeste de Greenwich, com área aproximada de 154.416ha. A metodologia empregada teve como base a aplicação da teoria geossistêmica (BERTRAND, 1971) com adaptações, utilizando-se o Sistema de Informações Geográficas SGI/INPE/ENGESPAÇO, versão2.3, para armazenamento e manipulação dos dados. Do cruzamento do mapa de solos, geológico/geomorfológico e vegetação, agregando-se informações de clima, hidrografia e uso e ocupação da terra, obteve-se o mapa de zoneamento agroecológico, com os seguintes ecossistemas / geofácies: Planície Litorânea, com área de 3.664ha; Planície Fluvial, com área de 2.694ha; Glacis Pré-Litorâneo, com 54.985ha; Depressão Sertaneja, com 63.376ha e Maciço Residual, com área de 26.856ha. Foram realizados trabalhos de campo para checagem dos fatores considerados na identificação das unidades geoambientais obtidos na interpretação visual das imagens de satélite, ou seja, vegetação e geologia/geomorfologia, como, também, do mapa resultante obtido do cruzamento. Foi, igualmente, desenvolvido um estudo da ecodinâmica do ambiente, classificando-o e analisando sua sustentabilidade. Contemplaram-se, ainda, as potencialidades e limitações agrícolas da área em estudo. Foram analisadas, para cada unidade geoambiental configurada, as potencialidades e as limitações dos recursos naturais renováveis.

 

 

 

 

 

Coluna direita

Previsão para Fortaleza

 ◄◄  ◄  ►►  ► 
SETEMBRO 2017
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
Voltar ao topo da página

Rodapé da página

Avenida Rui Barbosa, 1246, Aldeota - Fortaleza/CE - CEP.: 60.115-221

Fone: (85) 3101.1088 - Fax: (85) 3101.1093 - Email: funceme@funceme.br

Copyright © 2014 - Governo do Estado do Ceará. Todos os direitos reservados